Taleb Rifai participou da 32a Conferencia anual do IFTTA realizada em Sao Paulo

Com o apoio da APAMAGIS, Associação Paulista de Magistrados e organizaçāo do IFTTA Brasil, no final do mês de novembro, 2021, foi realizada virtualmente a 32a.Conferencia do IFTTA Internacional em Sāo Paulo. A EPM-Escola Paulista da Magistratura também participou como convidada.

Este é o primeiro post da serie que faremos sobre a conferencia. Veja a seguir um breve resumo de duas apresentações importantes: Dr. Taleb Rifai, ex-Secretario-Geral da OMT, e Dr. Alfredo Valdes-Bango juiz da Suprema Corte da Espanha.

Olhar para as comunidades locais

O Dr. Rifai ex-Secretário-Geral da Organização Mundial do Turismo-OMT, 2010-2017,  iniciou sua fala  pontuando que: “não podemos fingir ter hotéis 5 estrelas em pequenas comunidades de 2 estrelas. Isso não é mais possível. A preocupação não é enfatizar a segurança do turista, mas enfatizar a importância das comunidades locais para o turismo. O turista deve respeitar a cultura local. As comunidades locais devem se beneficiar do investimento em turismo de uma forma integrativa, simbiótica, e não fingir que podemos ter hotéis 5 estrelas dentro de comunidades pequenas, do contrário visitantes e visitados estarão em risco. É um princípio que precisa estar presente nos instrumentos legislativos. Consequentemente, o Código de Proteção ao Turista Internacional deve prever  como o turista/visitante deve respeitar as tradições e a comunidade local. Esse assunto é questão de princípio internacional.” E adiante, na sua fala, o Dr Rifai explicou como fazer isso.

O risco da viagem em caso de desastres naturais, problemas de segurança e terrorismo. Como a Diretiva Europeia protege o turista.

Outro tema significativo foi abordado pelo Juiz da Suprema Corte da Espanha, Alfredo Valdes-Bango, que filiou-se ao IFTTA antes de adentrar na magistratura e que continua desfrutando do ambiente amistoso que o IFTTA proporciona. Ele falou sobre o Pacote de viagem Europeu e Covid19, pontuando que o viajante (traveller) desfruta de uma forte proteção na Europa. A diretiva europeia leva em conta os planos do viajante, prevendo: desastres naturais, problemas de segurança, terrorismo etc, procurando atingir um equilíbrio entre o viajante e o organizador da viagem. Quando o problema é o risco da viagem. Pode-se distinguir 3 situações: 1.Alteraçāo dos termos do contrato pelo organizador antes da viagem. 2. Cancelamento do contrato pelo viajante/turista ou pelo organizador antes da viagem iniciar devido a circunstancias inevitáveis e extraordinárias; e 3.Cancelamento do contrato depois da viagem começar.

O Dr. Alfredo explicou cada uma das três situações. 

Os videos legendados da conferencia estão disponíveis na URL.

https://ifttabrasil.com/Conference/speakers-and-debaters/

 

Link permanente para este artigo: https://ifttabrasil.com/?p=2423